Coronavírus e a indústria

Coronavírus e a indústria. Como tem sido essa relação até agora

A crise do coronavírus tem afetado diversos setores por todo o mundo. E na indústria não tem sido diferente.

Por mais que o poder executivo do nosso país (prefeitos, governadores e presidente) não tenham tomado uma medida mais radical, como ocorreu com o comércio em boa parte do Brasil, a indústria também sentiu o impacto da pandemia.

Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou que os principais problemas que estão ocorrendo na indústria estão relacionados à queda na demanda por seus produtos, a dificuldade em conseguir insumos e matérias-primas e a redução da oferta de capital de giro no sistema financeiro.

Ainda falando da mesma pesquisa, quatro de cada dez indústrias consultadas, a produção foi interrompida por conta da crise. Em 23% das empresas, a produção está paralisada por tempo determinado. Em 18%, a produção está interrompida sem previsão de retorno. Quarenta por cento reduziram a produção, dos quais 19% de forma intensa. Apenas 5% das empresas aumentaram a produção.

Falando sobre a queda na demanda, 79% das indústrias pesquisadas perceberam redução nos pedidos. 53% das empresas apontam que a queda foi intensa. Apenas 7% relataram alta da demanda por seus produtos. Sobre a obtenção de matéria-prima ou insumos, 86% das empresas estão com dificuldade, das quais 37 pontos percentuais relataram muita dificuldade. Apenas 15% continuam a obter insumos e matérias-primas com normalidade.

Entre as medidas tomadas pelas indústrias em relação aos empregados, 58% adotaram o trabalho domiciliar (home office), 47% deram férias para parte dos empregados, 46% afastaram empregados com sintomas e 35% recorreram ao uso do banco de horas. Um total de 21% separou equipes por turnos menores e 19% deram férias coletivas para todos os empregados.

 

O que a indústria tem feito diante da crise do coronavírus

 

O que a indústria tem feito diante da crise do coronavírus

 

Algumas mudanças ocorreram na indústria após a crise do coronavírus. Leis foram implementadas e também medidas de prevenção foram adotadas com o intuito de tornar o local de trabalho um ambiente mais seguro e salubre.

Em fevereiro de 2020, foi publicada a Lei 13.979, que dispõe de medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública do COVID-19. O referido texto normativo deixa claro que serão consideradas como faltas justificadas ao serviço as ausências de empregados em decorrência de isolamento, quando estas forem determinadas pela autoridade competente do Ministério da Saúde.

Sobre as medidas de prevenção ao coronavírus, o SESI (Serviço Social da Indústria) recomenda o seguinte:

  • Lavar as mãos com frequência, usando água e sabonete líquido, principalmente depois de tossir e espirrar, ir ao banheiro e antes das refeições.
  • Também é efetiva a fricção das mãos com álcool gel 70%.
  • Promover o cumprimento verbal entre as pessoas, substituindo o aperto de mão, abraços e contato rosto a rosto.
  • Disponibilizar álcool gel 70% na entrada das salas e orientar os funcionários para a sua utilização.
  • Realizar a desinfecção das mesas e cadeiras, friccionando com pano seco e limpo embebido com álcool 70%, ao término de cada turno.
  • Realizar ou participar de eventos, palestras, utilizando plataformas virtuais como Skype e Zoom.

Estas são apenas algumas dicas gerais que devem ser implementadas podendo ser acrescentadas outras mais específicas, dependendo de cada empresa.

Aqui, na Geartech BR, tomamos todos os cuidados possíveis, sempre intensificando práticas de higienização e evitando ao máximo contato físico e proximidade entre colaboradores e clientes.

Continuamos o nosso trabalho em meio a pandemia, nos adaptando ao novo normal! Entre em contato conosco para conhecer melhor nossos produtos e serviços. Estamos à disposição!

Compartilhe

WhatsApp chat